written by
Rodrigo Ardilha

Aelacast #12 - De Repente Remoto #ficaemcasa

Podcast 3 min read

Nesse episódio do Aelacast, Felipe Melo (@felipemeloart) e Jônatas Vieira (@jonsvl) conversaram com convidados especiais sobre como está sendo a experiência de trabalhar de casa, em empresas globais de alta complexidade. Também conversaram sobre as oportunidades que os designers podem identificar nesse momento e algumas "previsões" para o futuro próximo.

Convidados:
Giu Vicente - Lead Product Designer na ServiceNow em Amsterdam
Bruno Duarte - Sr. Product Designer na Farfetch em Lisboa

Como está sendo sua experiência de trabalho remoto de casa nesse momento de crise no mundo? Conta pra gente no Twitter após escutar esse episódio: http://twitter.com/aelaio

Mesmo para quem já é experiente e leu de cabo a rabo a primeira edição desse livro, ler esta 3ª edição, totalmente atualizada, é uma ótima oportunidade de relembrar e reciclar alguns conceitos sobre usabilidade.

A ideia do livro, quando lançado, era de que pudesse ser lido em menos de duas horas, cobrindo os conceitos mais importantes de usabilidade.

Separamos alguns pontos principais do livro, tanto para refrescar as ideias quanto para trazer alguns insights novos para quem já está bem imerso no universo de UX e UI.

1) Usabilidade é…

📷0%Photographer: Naghme Kn | Source: Unsplash

O conceito de usabilidade simplesmente pontua que qualquer pessoa seja capaz de utilizar produtos sem achar o processo frustrante e complicado.

Nesse sentido, usabilidade é certificar-se de que as coisas funcionam bem e são fáceis de usar dentro do propósito esperado. Quer um exemplo de um produto com altíssima usabilidade? Colheres. Atendem perfeitamente seu propósito!

Dica de Leitura: Teste de Usabilidade - 10 Dicas Para Preparar e Conduzir Com Eficiência

2) As coisas devem ser autoexplicativas

Quando você acessa um site, um aplicativo ou outro produto digital, ele deve ser óbvio e autoexplicativo.

O usuário precisa, logo ao acessar a interface, entender como ela funciona e para quê serve, em um piscar de olhos.

Nesse sentido, tornar os processos e objetivos óbvios também é um importante fator de confiança em sites, aplicativos e empresas; e faz com que a usabilidade e experiência do usuário sejam satisfatórias.

3) Não me faça pensar!

Em linhas gerais, as pessoas não gostam de ter que adivinhar como fazer determinado processo ou atividade.

Dessa forma, se a sua interface propõe que o usuário tenha que pensar muito, ele ficará frustrado.

Os usuários não querem ter que lidar com seu site ou aplicativo como se fosse um quebra-cabeças complicado. Eles querem saber o que precisa ser feito imediatamente, e fazê-lo rapidamente.

Portanto, quanto mais as pessoas precisam pensar para agir, mais alta a probabilidade de abandonarem a sua interface e procurar seu concorrente.

4) Ninguém quer perder tempo!

📷0%Photographer: Jon Tyson | Source: Unsplash

As pessoas vão para internet para economizar tempo, e não para perdê-lo. Se você desperdiçar o tempo do usuário, ele vai embora.

Nesse sentido, lembre-se de que o tempo de carregamento de um site é um fator bem importante para seu posicionamento nas pesquisas do Google. Em linhas gerais, não gostamos que uma página ou aplicativo nos deixem esperando. Isso afeta a usabilidade e experiência pela interface.

Os usuários são como tubarões, precisam continuar nadando, ou morrem.

Dica de Leitura: Como Criar Personas para Projetos de UX Design?

5) Deixe o usuário voltar

O botão de voltar é a ferramenta mais utilizada nos navegadores, atualmente.

Para o usuário, errar durante a navegação em um aplicativo ou site não é problema. Mas é importante que ele consiga voltar para o começo, caso se perca pelo caminho.

Portanto, tenha certeza de que o usuário pode — e vai — clicar algumas vezes no botão para voltar e reencontrar seus passos durante sua jornada.

Remoto Carreira Internacional