written by
Aela.io

Design System: Como Funciona e Por que Usá-lo?

Design de Interação 1 min read

Um dos grandes desafios do passado era conseguir produzir designs com velocidade e com capacidade escalável. Para tanto, uma ferramenta chamada Design System foi criada para atender essa necessidade. Mas será que esse conceito é tão simples assim? Confira este artigo e entenda mais sobre Design Systems, como e por que utilizá-los!

Os produtos digitais estão cada vez mais complexos e os usuários mais exigentes.

É importante estabelecer processos e desenvolver ferramentas que auxiliem na criação de novos produtos, levando em consideração a consistência, padronização e identidade da marca.

Dessa forma, o Design System é um recurso essencial para garantir mais velocidade e precisão no desenvolvimento de produtos digitais.

No entanto, muitas vezes essa ferramenta é subestimada ou, ainda, confundida com uma simples Pattern Library (repositório de elementos).

Continue a leitura para entender porque Designs Systems não são apenas repositórios de elementos e quais são seus benefícios e propósitos dentro do processo de design!

O que é um Design System?

Design System é um sistema unificado que contém elementos, componentes, regras e princípios que guiam o desenvolvimento das interfaces de uma empresa.

Nesse sentido, o Design System funciona como uma "fonte de verdade" utilizada para proporcionar consistência e padronização de produtos digitais.

A ideia desse sistema é facilitar o trabalho dos designers e desenvolvedores, além de criar uma identidade que pode ser facilmente reconhecida pelos usuários.

O Design System funciona como uma ferramenta de suporte ao desenvolvimento de interfaces. Sua falta pode acarretar em retrabalhos, inconsistências, prejuízo de tempo e de outros recursos.

Qual a diferença entre Design System, Style Guide e Pattern Library?

Em um primeiro momento, podemos confundir os conceitos de Design System com Style Guide e Pattern Library. Mas devemos ter muito cuidado para que isso não aconteça.

Essas ferramentas, apesar de parecidas, possuem conceitos, objetivos e complexidades bastante diferentes.

O Design System não é apenas um repositório de componentes de UI Design, como é o Pattern Library. Também não é apenas uma diretriz sobre a parte visual da interface, como é o Style Guide.

Muito além disso, o Design System é uma ferramenta viva que evolui conforme o desenvolvimento e amadurecimento dos projetos de UX Design de uma empresa.

Com esse sistema você saberá utilizar todos os elementos de UI de forma a desenvolver uma interface coerente e consistente, considerando a visão e os objetivos da marca e da empresa.

Utilizar somente um Pattern Library não garante a construção de um resultado consistente. É como se fossem peças de Lego que seriam usadas aleatoriamente, sem uma diretriz.

Dica de Leitura: Um Pequeno Guia Sobre UI Design

Qual o propósito de um Design System?

Um dos principais motivos por trás da criação do conceito do Design System foi a necessidade de tornar o desenvolvimento de interfaces — digitais ou não — em produtos escaláveis. Ou seja, que pudessem ser criados de forma mais consistente e rápida para atender as necessidades de clientes e usuários.

Portanto, tendo este princípio como principal motivo, podemos dizer simplesmente que o propósito de um Design System é facilitar o desenvolvimento de interfaces, em um nível ótimo de escalabilidade da empresa.

No entanto, conforme o próprio conceito foi evoluindo e se aprimorando, seus propósitos e objetivos também se aperfeiçoaram.

Nesse sentido, além da escalabilidade, podemos enumerar dois outros propósitos para os Design Systems:

  1. Proporcionar mais liberdade para os designers;
  2. Funcionar como uma ferramenta sócio-técnica.

Mais liberdade para criar e experimentar

Quando ouvimos dizer que existe uma ferramenta capaz de padronizar as interfaces ao mesmo tempo que as deixa consistentes, pensamos na existência de diversas restrições que podem atrapalhar a criatividade dos designers.

Na verdade, essa é uma das grandes preocupações que alguns profissionais têm com relação ao uso de Design Systems: acreditar que essa ferramenta irá minar a sua criatividade.

No entanto, acontece exatamente o oposto.

Um sistema de design bem desenvolvido tem como alicerce:

  • Visão de Design: estratégia clara e bem definida da empresa sobre seus produtos, objetivos e expectativas futuras com relação ao seu UX Design;
  • Princípios de Design: utilização de conceitos e fundamentos que ajudam a atingir a visão de design proposta pela empresa.

Dessa forma, um Design System bem desenvolvido não limita a criatividade dos designers, mas fornece as diretrizes e os princípios básicos para que eles tenham liberdade para criar e experimentar soluções que atendam as necessidades e resolvam problemas dos usuários.

Ferramenta social com resultados técnicos

Outro propósito consequente do aprimoramento dos Designs Systems é a sua utilização para empoderar o time e as pessoas.

Nesse sentido, batemos mais uma vez na tecla em que os Designs Systems não são apenas códigos, documentos e elementos de UI. Os Design Systems são tudo isso mais as relações entre as pessoas que os desenvolverão e utilizarão em seus projetos e interfaces.

Dessa forma, os Designs Systems — desde o seu desenvolvimento até a sua utilização e atualização constante — promovem a comunicação, a confiança e o compartilhamento de responsabilidades.

Além disso, proporcionam a interação entre os que desenvolvem o Design System, aqueles que o utilizam e o usuário final.

Portanto, utilizar o Design System também é fortalecer as relações entre as pessoas envolvidas em todo o processo.

Dica de Leitura: Como Criar Produtos de Valor com o Design Emocional?

Quais os benefícios do Design System?

Desenvolver um Design System pode parecer um tanto trabalhoso. Mas acredite, essa ferramenta irá lhe poupar diversas horas de desenvolvimento.

Além disso, existem outros benefícios atrelado ao uso de sistemas de design. Desses, podemos citar:

  • Consistência: os Design Systems permitem que os desenvolvedores criem interfaces mais consistentes, uma vez que os elementos de UI estão padronizados e sob as corretas diretrizes de uso;
  • Maior qualidade: consistência e padronização levam a maior qualidade da interface. Erros se tornam raros e a experiência do usuário é aprimorada;
  • Melhor comunicação entre as equipes: o Design System é a "fonte da verdade", portanto as discussões entre desenvolvedores e designers tendem a se amenizar uma vez que todas as diretrizes e elementos estão oficializados;
  • Rapidez no processo de design: o Design System permite a escalabilidade do processo de design. Dessa forma, o desenvolvimento de interfaces se torna bem mais ágil e fácil;
  • Maior foco em UX Design: uma vez que os elementos estão padronizados, os designers conseguem dar mais foco para a experiência ao invés da criação dos componentes. Dessa forma, o Design System ajuda no aprimoramento da experiência dos usuários finais.

Para obter esses benefícios, os Design Systems precisam se basear em certos princípios que são bastante característicos dessa ferramenta.

5 Princípios do Design System

Como visto, criar uma repositório de elementos de UI não é o suficiente para construir um Design System.

Existem algumas características básicas que guiam a construção de um sistema de design. São eles:

1) Design Systems são produtos digitais

Assim como as próprias interfaces e produtos das empresas, os Design Systems precisam de manutenção e atualização constante.

Nesse sentido, não basta apenas criar uma ferramenta e deixá-la de canto. Dessa forma, ela ficará desatualizada e fatalmente cairá em desuso.

É importante enxergar os Design Systems como algo vivo, cuja melhoria contínua é essencial para manter sua eficiência.

2) A colaboração é essencial

É importante incentivar a colaboração entre as áreas para manter o Design System atualizado, corroborando com o princípio anterior.

Além disso, é essencial que o Design System seja compartilhado para todas as áreas e stakeholders, atendendo as suas necessidades.

Não faz sentido criar um Design System que fica à disposição apenas para a área de desenvolvedores, por exemplo.

3) A simplicidade é o melhor caminho

Os Design Systems são ferramentas utilizadas para encontrar caminhos e respostas para o desenvolvimento de novas interfaces digitais.

Por isso, é importante que as informações estejam bem organizadas e fáceis de encontrar. A navegação deve ser simples e as diretrizes, respostas e soluções devem conseguir ser encontradas rapidamente.

4) Design Systems precisam de comunicação e engajamento

A comunicação é essencial para manter os stakeholders atualizados sobre mudanças e updates no Design System.

Dessa forma, criar e-mails, newsletters e Q&A são estratégias importantes para manter a comunicação e criar o engajamento com as partes interessadas.

Não adianta criar um Design System incrível, se as pessoas não sabem disso.

5) Design Systems precisam ser centralizados

O Design System é único para toda a empresa.

Nesse sentido, não deve haver mais de um Design System disponível para os projetos e times.

Portanto, é importante alocar a ferramenta em um local acessível para todos — compartilhado na nuvem, talvez.

Além disso, as instruções de utilização precisam ser simples e que não exijam das pessoas conhecimentos técnicos ou muito específicos.

Dica de Leitura: 9 Dicas Para Despertar a Confiança dos Usuários

Quais os elementos de um Design System?

Até agora observamos quais são as principais características de um Design System, para quê serve e quais são seus benefícios.

Legal! Mas então o que exatamente deve compor um Design System?

Existem 5 elementos básicos que não podem faltar dentro do seu Design System:

  1. Propósito e valores;
  2. Princípios de Design;
  3. Identidade da Marca;
  4. Componentes, padrões e elementos;
  5. Diretrizes e regras de uso.

1) Objetivos e Valores

Descrever os objetivos é importante para manter todos na mesma página com relação às metas e desejos da empresa.

Dessa forma, todos que utilizarem o Design System terão em mente os motivos pelos quais ele foi criado e como ele pode ajudar a atingir os objetivos da empresa ou do projeto.

No entanto, não se esqueça de que os objetivos são mutáveis ao longo da jornada de uma empresa. Portanto, a descrição dos objetivos deve ser sempre revista e suas atualizações comunicadas para todos.

Já os valores representam as crenças da empresa que guiarão as escolhas e tomadas de decisão.

A descrição dos valores dentro de um Design System é importante para que as decisões de design não tomem caminhos opostos aos da empresa.

2) Princípios de Design

Os princípios de designs vão além de simples regras visuais aplicadas aos produtos.

Na verdade, existem diversos princípios e fundamentos essenciais que ajudam e guiam o desenvolvimento de design de interfaces — Leis de UX, Gestalt, Fundamentos do Design de Interação.

Nesse sentido, essas diretrizes são essenciais dentro de um Design System. Com elas, os designers conseguirão tomar decisões importantes relacionadas ao design do produto.

3) Identidade da Marca

O Design System é responsável por ajudar a desenvolver com mais facilidade e rapidez novas interfaces e produtos de uma empresa.

Nesse sentido, o time de UX/UI precisa saber quais são as estratégias, objetivos e voz da marca com a qual estão trabalhando.

O desenvolvimento de produtos deve estar em linha com a identidade visual da marca e, portanto, deve levar em consideração aspectos como:

Não basta que o Design System ajude no desenvolvimento de novas interfaces. É preciso que haja a preocupação em manter a identidade e a comunicação da marca com o usuário.

4) Componentes, padrões e elementos

Sem dúvida, essas são peças muito importantes dentro de um Design System.

Os componentes e elementos são as unidades que constroem os padrões que são utilizados para desenvolver as interfaces com consistência.

É importante lembrar que os outros elementos que compõem o Design System são a base para o desenvolvimento desses itens.

Ou seja, os componentes e padrões de uma interface são reflexo dos objetivos, dos princípios de design e da identidade da marca.

Dica de Leitura: Padronização em UI e Como Criar Interfaces Consistentes?

5) Diretrizes e regras de uso

Todo Design System precisa de diretrizes e regras para o uso dos componentes e identidade da marca.

Esses documentos são essenciais para ditar o que podemos e o que não podemos fazer no desenvolvimento de um produto.

Dessa forma, com essas regras é possível criar interfaces coerentes, consistentes e que proporcionam boas experiências ao usuário.

Guia Rápido para Construir um Design System

Construir um Design System eficiente é algo que leva tempo e experiência.

Portanto, sabemos que além da parte mais teórica do assunto, é importante colocarmos um pequeno guia para te ajudar na construção do seu primeiro Design System.

As principais etapas para desenvolver um sistema de design são:

  1. Conduzir uma auditoria visual;
  2. Criar a linguagem visual;
  3. Criar uma pattern library;
  4. Desenvolver a documentação para diretrizes e regras.

1) Conduzir Auditoria Visual

O primeiro passo para construir um Design System é conduzir uma auditoria no design já existente da interface ou produto.

Para tanto, analise minuciosamente todas as telas, componentes e relações de elementos da interface. Monte um grupo e tire screenshots de cada peça e tela do produto.

Em seguida, organize os screenshots em um arquivo único e analise cada foto, procurando por inconsistências e oportunidades de melhoria.

Caso você ainda não possua uma produto, analise os mockups e protótipos existentes ou, ainda, crie os mockups pensando já na consistência e padronização.

2) Criar Linguagem Visual

A linguagem visual é essencial na construção de Design Systems. Ela é responsável por dar vida a cada elemento e componente do sistema e da interface.

Nesse sentido, é importante levar em consideração os seguintes fatores:

  • Cores: inclua as cores primárias que representam o produto. Pense nas cores, nas sombras e nos tons que constroem a identidade da marca;
  • Tipografia: não aplique mais de 2 fontes diferentes na sua interface para não confundir ou distrair os usuários. Além disso, escolha uma tipografia que seja legível e contraste bem com as cores da marca;
  • Tamanho, espaços e responsividade: considere todos os tamanhos de dispositivos e desenvolva uma interface responsiva. Use sistema de grids para verificar os tamanhos e os espaços necessários;
  • Imagens e Ilustrações: Tenha em mente a identidade e o tom da marca para desenvolver e inserir imagens e ilustrações na interface.
Dica de Leitura: Como Utiliza o Sistema de Grids para Criar Designs Responsivos?

3) Criar uma Pattern Library

Limakilo Android Pattern Library por Afnizar Nur Ghifari

Para complementar a auditoria visual, é importante criar uma Pattern Library.

Para tanto, analise os componentes do seu design e identifique os elementos importantes e descarte os desnecessários.

Em seguida, crie um repositório com cada um desses elementos, identificando a funcionalidade de cada um deles.

Dessa forma, você possui um portfólio de elementos que podem ser usados em qualquer momento do desenvolvimento do seu produto.

Além disso, é importante sempre revisar a sua Pattern Library, adicionando ou retirando elementos.

Caso você esteja criando uma interface pela primeira vez, construa seus elementos levando em consideração a padronização em UI e o conceito de Atomic Design.

4) Desenvolver a Documentação

Talvez esta etapa seja a menos emocionante dentro do processo de criação de Design Systems. No entanto, ela é de extrema importância.

A documentação é o que diferencia o Design System de um simples repositório ou Pattern Library.

Nesse sentido, desenvolva as documentações que indiquem todas as regras do que fazer e do que não fazer, bem como as instruções sobre atualização e processos de comunicação.

As diretrizes são importantes para manter o Design System vivo e eficiente. Portanto, por menos emocionante que seja essa etapa, ela não deve ser negligenciada.

Considerações Adicionais

Desenvolver um Design System é trabalhoso, mas definitivamente traz diversos benefícios que valem a pena.

Portanto, sempre tenha em mente que essa é uma ferramenta indispensável para qualquer time e profissional de UX Design.

No entanto, não se prenda a perfeição do Design System. É muito comum termos a tendência de querer criar a ferramenta perfeita. Mas, infelizmente, isso não existe.

Assim, o mais importante no desenvolvimento de um sistema é começar. A sua evolução irá acontecendo conforme novos produtos são desenvolvidos e novas necessidades vão surgindo. Os Design Systems devem acompanhar toda essa jornada evolutiva.

Outro ponto importante é não desenvolver o sistema sozinho. Talvez em uma empresa pequena ou com poucos recursos, o desenvolvimento do Design System acabe sendo feito por poucas ou uma única pessoa.

Contudo, o ideal é ter mais pessoas — ou um time inteiro — para ajudar a desenvolver, manter e aprimorar o Design System.


Gostou do artigo? Deixa um comentário! O feedback de vocês é muito importante para continuarmos criando conteúdos relevantes.

Se você quiser encontrar mais artigos como esse, acesse nosso Blog! Lá, você tem diversos temas relacionados a UX Design. Desde ferramentas e conceitos até dicas para migrar de carreira! Fique ligado para não perder nenhum aprendizado!

Ficou com alguma dúvida? Manda uma mensagem!

Interaction Design Ferramentas Design System Gestão de Projeto Management Styleguide Marketing Colaboração Conceitos Teoria Cores Ícones Design Estratégico Negócios Processos