written by
Aela.io

7 Dicas Para Você Se Tornar Um Designer Internacional

Carreira 1 min read

Quem já procurou oportunidades internacionais como UX Designer com certeza encontrou uma grande quantidade de vagas.

Trabalhar internacionalmente deixou de ser visto como algo impossível e cada vez mais pessoas estão se aventurando em terras estrangeiras. Com a internet, também é possível trabalhar para clientes internacionais sem mesmo sair do Brasil. Mas é claro que as empresas também procuram profissionais que possam ficar alocados fisicamente em seus países de origem.

Se você está decidido a desbravar o internacional, mas não sabe direito ainda o que fazer, confira na sequência 7 dicas para você se tornar um Designer Internacional.

Caso prefira, ouça o episódio do Aela cast sobre o tema:

Dica de Leitura: O "Boom" do UX Design

1) Estude, fale, ouça e respire o inglês

É claro que, se você pensa em trabalhar internacionalmente, é uma obrigação saber falar inglês.

Se você não domina o idioma, não deixe que isso te desanime. Hoje em dia existem cursos online de inglês muito mais baratos do que um curso presencial em uma escola tradicional.

E a melhor maneira de aprender e aprimorar o inglês é fazendo uma imersão no idioma. Mas como fazer uma imersão no Brasil?

Veja séries e filmes; ouça músicas e podcasts; leia artigos e textos, todos em inglês. Isso irá te ajudar a dominar melhor o idioma. Procure cursos cuja proposta seja conversar com pessoas estrangeiras. O Italki, por exemplo, te coloca para conversar com pessoas cujo idioma nativo é o inglês.

Mas para se tornar um UX Designer internacional, não basta apenas aprender a falar inglês. É preciso, também, traduzir todas as suas informações. Seu currículo, seu portfólio, seu perfil no LinkedIn, etc.

As melhores oportunidades na área de UX Design exigem que o profissional seja fluente em inglês, mesmo que a vaga for para atuar no Brasil.

Portanto, ter o domínio desse idioma abrirá diversas portas para você como UX Designer. Seja no mercado nacional para as melhores empresas, em oportunidades de trabalhos remoto para empresas estrangeiras, ou alocado no mercado internacional.

2) Monte um portfólio de UX Design

Mesmo que você esteja começando e ainda não possua projetos reais para compor seu portfólio, não há problema.

Muitos alunos do Bootcamp MID usaram os exercícios do próprio curso para montar seu portfólio e conseguiram ser admitidos em ótimas empresas.

Portanto, use o que estiver à disposição, desde que seja de qualidade e que te ajude a mostrar que você domina o assunto.

Ah, não se esqueça! É importante que seu portfólio também esteja em inglês.

Dica de Leitura: 6 Dicas Essenciais Para Montar Seu Portfólio em UX Design

3) Construa networking

Estabelecer bons contatos e networking é uma abordagem fundamental para conseguir mais oportunidades, tanto nacional quanto internacional.

Com o LinkediIn, por exemplo, fica mais fácil entrar em contato com pessoas do mundo todo e de diversas empresas, além de encontrar oportunidades de trabalho.

Além disso, você também pode se cadastrar em sites de trabalho freelancer, que possuem Jobs em clientes internacionais.

Então, crie perfis e cadastros nesses sites, participe de fóruns e comunidades, utilize as mídias sociais. Exponha-se.

Networking é muito importante para conseguir se conectar com empresas, pessoas e oportunidades mundo afora.

Dica de Leitura: LinkedIn para Designers — Dicas Para Melhorar Seu Perfil

4) Monte um plano

Correr atrás de uma carreira internacional requer pensar em diversos fatores, como:

  • Qual o melhor país para morar ou trabalhar?
  • Como que funcionam os vistos?
  • Quais são as leis trabalhistas?
  • Como que funcionam os salários e benefícios?
  • Qual é o custo de vida?

Montar um plano e antecipar esses fatores fará com que você consiga se organizar para saber o que tem que ser feito.

Além disso, ao montar seu plano, é importante pensar em algumas questões mais profundas:

  • Quais suas motivações e objetivos?
  • Aonde você quer chegar?
  • Qual o seu propósito?

A maioria das respostas para essas perguntas, é claro, será lapidada conforme você for trilhando seu caminho, por meio das experiências e da maturidade. Ainda assim, é importante pensar nelas quando estiver montando seu plano, pois elas ajudam a direcionar as suas ações e tarefas.

5) Saia da zona de conforto e não desista

Na maioria das vezes, o que existe entre montar e executar o plano é a insegurança.

Sentimos medo e começamos a pensar em tudo o que pode dar errado. Ainda mais quando existe a possibilidade de sair do país.

Essa sensação é normal, mas lembre-se: nada é impossível. Estar decidido e tomar coragem para perseguir seus sonhos é muito importante!

É comum as pessoas pensaram que somente conseguem trabalhar fora do país quem tem passaporte europeu ou, então, quem é patrocinado por alguma empresa.

No entanto, nosso mentor Felipe Melo Guimarães provou que isso não é verdade. Felipe não possui descendência estrangeira e não precisou ter seu visto bancado por alguma empresa. E mesmo assim, hoje, mora e atua como Product Designer na Europa.

Ele não desistiu frente a um obstáculo e procurou soluções criativas para contorná-lo. Persistiu e conseguiu alcançar seu sonho de trabalhar com UX fora do Brasil.

Portanto, monte seu plano, busque saber das oportunidades, alternativas, dos riscos e dos caminhos que você pode seguir e não tenha medo. Vai fundo! A experiência de morar em outro país e atuar como UX Designer em grandes empresas não tem preço!

Dica de Leitura: 11 Medos Que Te Impedem de Migrar para UX Design

6) Seja flexível e adapte-se

Assim como em toda profissão, UX Design também exige a necessidade de ser flexível e adaptável. O mundo e o mercado mudam constantemente. Principalmente na área de tecnologia.

O Brasil, por mais que tenha um forte mercado digital, ainda fica pra trás diante de algumas tendências e inovações. Se a ideia é se tornar um profissional de UX internacional, é imprescindível estar sempre antenado ao que acontece no mercado em outros países.

Tendo isso em mente, esteja sempre atualizado. Adapte seus passos conforme as mudanças vão acontecendo e aprenda na prática. Muitas pessoas podem se prender ao que aprenderam nos livros, mas não deixe que a teoria vire seu cabresto. Esteja aberto a novas possibilidades. Adaptar-se constantemente faz com que as transições sejam mais suaves.

7) Não pare de consumir conteúdo

A facilidade com que as informações e conteúdos são construídos e divulgados é grande. Além disso, existem blogs e plataformas que fornecem conteúdo gratuito e de qualidade.

Estamos em um momento em que conseguimos aprender diversos assuntos pela internet. E a própria Aela tem esse objetivo. De transmitir a maior quantidade de conhecimento e conteúdo em diversos níveis.

Temos nosso canal no YouTube, nossos podcasts e nosso blog que possuem conteúdos de qualidade e gratuitos. E para quem quer investir em uma imersão no mundo de UX/UI, temos o nosso Bootcamp Master Interface Design.

Não pare de aprender, de pesquisar, de correr atrás de novidades, isso com certeza fará a diferença para a sua carreira, seja ela internacional ou não.

Tornar-se um Designer Internacional pode exigir muita dedicação e esforço, mas não é impossível. Lembre dessas dicas quando decidir levar sua carreira de Designer para um nível internacional, temos certeza de que serão bem úteis para sua empreitada.


Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui no Blog e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Careers Carreira Internacional Migrar de Carreira Bootcamp MID MID UX Internacional Livros Mentoria