written by
Aela.io

O Que É UX Design? (antigo)

11 min read

Afinal, o que significa o termo UX? Literalmente quer dizer “User Experience”, ou seja, experiência do usuário. Mas muito mais do que um termo técnico, o UX é toda relação que uma pessoa tem com um produto ou serviço. Não apenas o Design de um site, aplicativo ou um produto qualquer. Desde o momento em que um usuário se interessou por um produto, pesquisou, contou para alguém, comprou, carregou, abriu a embalagem, tocou e o usou, isto é UX.

Provavelmente você já deve ter se frustado com algum produto ou serviço que adquiriu (ou pelo menos tentou adquirir).

Por exemplo: um site complicado demais de usar, finalização de pagamento que nunca chega ao fim, preenchimento de enormes formulários que acabam apagando tudo. Ou até mesmo uma embalagem difícil de abrir, um produto muito complexo para configurar, um lugar difícil demais de achar. O UX Design é isso: se preocupa com cada etapa em que o usuário interage com o produto/serviço. É a combinação de empatia, usabilidade, tecnologia e um toque humano durante o desenvolvimento.

Confira no vídeo abaixo Don Norman, um dos pais do UX, falando sobre o termo:

Veja nesse vídeo como o simples design de uma tigela pode causar um problema para um usuário:

Design centrado no usuário

O UX Design vem para colocar quem é mais importante no centro de tudo: o usuário. Não mais o produto, o lucro, ou o serviço. Tudo isso é muito importante e faz parte do processo de criação. Entretanto o principal foco é quem terá que lidar com tudo isso, ou seja, as pessoas.

Uma arquiteta desenvolveu um projeto bem interessante chamado “The Uncomfortable”. Visa, através da criação de objetos com Design que não funcionam, transmitir a importância da usabilidade nos produtos. Confira algumas fotos:

ux

Donald E. Norman também escreveu um livro sobre a importância do Design com a interação humana. O foco não é apenas na estética, mas se aquele produto é facilmente usado por uma pessoa. Interessante que a capa do livro mostra exatamente o design que não funciona de um bule de café.

Nesse artigo, vamos focar ESPECIFICAMENTE no UX Design na área digital / de tecnologia, e usaremos muito o termo Product Design.
Entendemos que UX e Product Design abrangem outras coisas (fora do digital), mas vamos usar esta terminologia aqui apenas para ilustrar nossos argumentos no meio digital, ok?

UX Design

O Design focado no usuário é o lado pessoal e humano da tecnologia, a qual busca se encaixar no modo de uso, necessidades e problemas de quem a usa.

Ao colocar o cliente e as necessidades destes em primeiro lugar, consequentemente as empresas obtêm diversas vantagens. Dentre elas, podemos citar:

  • Melhora na experiência dos clientes (User Experience);
  • Fidelização de clientes;
  • Mais eficiência na produção de um serviço ou produto;
  • Aumento da lucratividade;
  • E melhora da imagem empresarial.
Do Marketing para UX Design — confira essa história aqui.

Nomenclatura

A nomenclatura dos cargos de UX Design podem variar, como: UX/UI Designer, Product Designer, Designer de Experiência do Usuário, Designer de Interação, entre outros, dependendo da área em que o profissional atua. Grande parte dos profissionais atuam diretamente com tecnologia, portanto muitas vezes profissionais de UX acabam atuando também nas áreas de Design de Interação e de Interfaces Digitais.

Onde o profissional de UX Design atua?

Nos últimos anos a área de UX vem ganhando uma enorme importância no mercado. Na área digital, devido ao surgimento constante de diversos novos devices, como: celulares, tablets, relógios como Apple Watch, assistentes de voz — Siri, Alexia, entre outros, surgem muitas oportunidades para os profissionais do ramo.

Assim, área de atuação de um UX Designer é vasta, já que UX pode ser aplicado em qualquer produto ou serviço, desde que tenha como base interações humanas. Essas interações podem ser feitas com um sistema, site, mobile device, etc.

A experiência e a interação acontecem desde o momento em que o usuário entra em sua loja física ou virtual até todo o processo de utilização do produto, e por que não o descarte desses produtos (preocupação ambiental).

Por isso, o Product Designer tem o trabalho de pesquisar, realizar testes e aplicar mudanças no projeto, a fim de atingir positivamente o maior número de pessoas possíveis.

Algumas possibilidades de atuação de um Product Designer:

  • Alocados dentro de empresas de diversos seguimentos. Ex: empresas de software, startups, grandes corporações, empresas de consultoria, de serviços públicos, e qualquer empresa que desenvolva produtos usando tecnologia;
  • Trabalho remoto para empresas internacionais;
  • Dentro de Agências que trabalham com produtos digitais;
  • Como freelancer para grandes comunidades como a Toptal — é uma startup do Vale do Silício que consiste em uma rede fechada de freelancers que atuam na área de desenvolvimento de software, design e finanças. Saiba mais;
  • O Designer também pode criar produtos próprios e vendê-los online. Não só estampas e desenhos, mas trabalhos que exigem criação e pesquisa, como templates para sites, como pro exemplo ThemeForest.
Para saber mais sobre a área de atuação de um Designer leia nosso artigo: A internacionalização do design de interface.

Uma pesquisa realizada pelo UXPA São Paulo revelou que as empresas que mais contrataram UX designers são agências de publicidade, seguidas por clientes de agências e consultorias.

Photo by Taras Shypka on Unsplash

Dados do mercado

Como dito anteriormente, o mercado de UX Design está crescendo cada vez mais. Esse fenômeno atrai muitos profissionais interessados em migrar para esta área. Na verdade, o número de UX Designers cresceu muito nos últimos anos e a tendência é de um crescimento ainda maior.

Segundo uma pesquisa da NN/g, de 1983 a 2017 a profissão de UX cresceu de 1.000 para cerca de 1 milhão de profissionais. Para o futuro, de 2017 a 2050, a previsão é que a profissão de UX cresça de 1 milhão para cerca de 100 milhões de pessoas. Veja o gráfico:

Nós escrevemos um artigo sobre os motivos desse boom do UX e projeções para o futuro. Explicamos detalhadamente porque você deve aproveitar esse momento e não deixar passar essa oportunidade de migrar de vez para UX. Veja aqui.

Além disso, de acordo com o site lovemondays a média salarial de um UX/UI Designer Sênior no Brasil é de R$7.564. Sendo que o salário mais baixo registrado foi de R$2.000 e o mais alto de R$58.000. E pra quem ainda não é sênior, a media salarial é de R$5.066 em São Paulo. Confira:

Salário de UI/UX Designer Sênior — site lovemondays

O mercado de UX está bombando, com diversas vagas, oportunidades e salários bem atrativos. E agora é o melhor momento para você para migrar sua carreira e se tornar um UX Designer. Confira algumas:

Vaga de emprego para UX/UI Designer — site Catho
Vaga de emprego para UX Designer — site Catho
Vaga de emprego para UX Designer — site Catho

Oportunidades Internacionais em UX:

O mercado internacional está ainda mais quente do que o Brasileiro. Vejam somente algumas vagas oferecidas recentemente (Abril de 2019) e que inclusive fazem o processo de visto:

Se você quer saber mais qual é a faixa salarial e as oportunidade de redimentos com UX Design, veja esses 2 artigos:

Quanto pode ganhar um Designer UX &/ou UI ? Parte 01

Quanto é possível ganhar com UI UX? Parte 02 — Freelancer

Quais são as skills necessárias para se tornar um Produt Designer?

Para ter sucesso na carreira de UX Design, existem algumas habilidades e qualidades que o profissional deve buscar.

A NN/g é uma empresa de UX Research e consultoria na área de UX Design, fundada por Don Norman e Jakob Nielsen, simplesmente os pais da user experience. Veja aqui os 10 principais aprendizados da UX Conference, Londres.

Segundo a NN/g um Designer precisa ser organizado, comunicativo e proficiente em tecnologia. Mas, principalmente para esse tipo de profissional, é essencial ter a capacidade de se empatizar com outras pessoas. Ou seja, ver e entender o mundo com uma visão que não seja a sua, isso é importante para um Product Designer, pois ele não desenvolverá algo que só é interessante para ele. A criação é para alguém desconhecido e para ser utilizado em um ambiente nem sempre familiar.

Confira 10 desafios de UX que você vai enfrentar em breve, segundo Jakob Nielsen.

Soft skills ou habilidades comportamentais:

  • Curiosidade — um UX Designer deve estar sempre interessado em entender os processos, estudar e aprender novas técnicas e ferramentas para usar no trabalho;
  • Empatia — sem empatia é impossível ser um bom Designer. A empatia é a base para realizar testes e entender as necessidades e os problemas dos seus usuários;
  • Comunicação — é importante ter a capacidade de conversar, expressar, compartilhar e ouvir opiniões dos diversos membros do time. O trabalho do UX Designer sempre é em conjunto e tem relação com diversos grupos diferentes, como os colegas de trabalho, clientes e usuários;
  • Inteligência Emocional — ser capaz de controlar suas emoções, tomar decisões sob pressão e lidar com pessoas diferentes é o segredo para realizar um bom trabalho e ter uma boa relação com as pessoas;
  • Colaboração — como já dito, para entregar um produto final a um cliente, é necessário trabalhar com muitas pessoas; clientes, usuários, profissionais de outras áreas. Sendo assim, saber trabalhar em equipe é essencial para um Designer de Experiência.
5 Soft Skills para Você fazer a diferença como Designer. Veja aqui.

Hard skills ou habilidades técnicas

Além de habilidades comportamentais, um Produc Designer precisa ter também habilidades técnicas. Essas habilidades vem de muito estudo, experiência e prática. Confira:

  • Conhecimento em Softwares: A área tecnológica muda muito e sempre esta inovando. Por isso, é importante estar atento aos novos lançamentos, principalmente para saber de novidades que podem melhorar e facilitar o seu trabalho. Porém, softwares são apenas acessórios e sempre se atualizam e mudam, e dependem também do que faz mais sentido para você e na empresa que você for trabalhar.

Portanto, não deixe que seu foco fique apenas em uma ferramenta. Não deixe que suas habilidades humanas fiquem em segundo plano. As ferramentas ficam ultrapassadas, mas os seres humanos não.

Uma dica interessante é trabalhar, antes de tudo, com caneta e papel. Dessa forma, com as ideias ali, fica muito mais fácil sentar em frente a uma ferramenta e transformar aquilo em realidade.

Veja quais são as melhores ferramentas de prototipagem de interface.

Formação — Faculdades, Cursos, Bootcamp

Esse tópico sempre gera dúvidas em quem deseja entrar ou migrar para UX/UI Design. Por isso, selecionamos dicas e sugestões de quem já tem muita experiência e entende bem da área. Os mentores do curso MID: Jon Vieira e Felipe Melo. Confira:

Felipe Melo no artigo: Designer precisa fazer faculdade? Uma polêmica nem um pouco nova.

"…áreas do design estão fervendo com oportunidades, como o User Experience e a área de Design de Interfaces. E para essas áreas, a formação acadêmica não importa tanto, mas sim um conhecimento profundo dos métodos e processos de criação, além de um portfólio bem notável.”

Caso você tenha o desejo de fazer uma faculdade as formações mais recomendadas para UX são: Design, Psicologia, cursos voltados a Human Computer Interaction ou comportamento humano.

Além disso, o background em diversas outras áreas não impede de você migrar para UX. Pelo contrário, elas podem te trazer um diferencial em relação a diversas skills. Como exemplo a Fábia Coelho, que falou da vantagem que ela tem em comunicação com stakeholders já que atuou com atendimento ao cliente por muitos anos. Confira a entrevista com ela.

Já ajudamos diversos outros alunos a migrarem, sejam com background em design ou não. Veja as trajetórias dos nossos alunos que migraram para UX recentemente: bit.ly/entrevistas-alunos-mid
“se você é um profissional de uma área correlata, com anos de experiência e mercado, voltar para a faculdade pode ser cansativo e nem tanto proveitoso" — Felipe Melo

Os Bootcamps são uma ótima opção, já que focam no aprendizado juntamente com a prática de desenvolvimento de projetos, que no final farão parte do seu portfolio.

Bootcamp

"Desde o início eu simplesmente não aceitava que o acesso a educação de qualidade no Brasil precisava ser limitado… Meu objetivo com o MID e Aela é simples. Criar a melhor metodologia online para que qualquer pessoa interessada de verdade, que estude firme, consiga se tornar um talento na área de interaction design a nível internacional e tenha sua posição no mercado de trabalho (ponto)." — Felipe Melo
"Em virtude dessas minhas experiências e juntando com as vivências do Felipe, nesse mercado de Design por mais de 10 anos, resolvemos criar um curso que solucionasse essas limitações de uma faculdade (horários, valores, conteúdo atualizado, praticidade), e a mesmo tempo fosse algo realmente de qualidade e que possibilitasse as pessoas a sairem realmente preparadas (portfolio e conhecimento) para ocuparem as melhores vagas no mercado de UX/UI design ou ainda atuarem como freelancers." — Jon Vieira

Uma coisa é certa: nunca pare de estudar.

Seja com cursos, faculdades, conferências, certificações, palestras, podcasts, artigos, sozinho…não importa. Nunca pare, pois o mercado não vai parar e você pode ficar para trás… muito rápido.

Conheça a história do André Borges que migrou do Marketing para UX em 8 meses de estudo. Leia aqui.