written by
Aela.io

Usabilidade - Conheça 9 Erros Comuns e Saiba Como Evitá-los!

11 min read

Existem diversos erros de usabilidade que são mais comuns do que podemos imaginar. O profissional de UX Design precisa portanto, saber quais são esses erros e como identificá-los em seus projetos de UX. Isso ajudará a melhorar a qualidade do seu trabalho. Confira quais são os 9 erros mais comuns e se ligue para ver se você não está cometendo algum deles!

Usabilidade
88% dos consumidores online alegam que a chance de retornar a um site depois de uma experiência negativa é bastante pequena.

O Brasil já está com aproximadamente 127 milhões de pessoas navegando na internet. Isso representa cerca de 70% da população brasileira. E com os demais avanços tecnológicos os usuários estão cada vez menos tolerantes e pacientes. Para se ter uma ideia, não há mais espaço para sites que demoram para ser carregados, por exemplo.

Em virtude disso, conhecer profundamente sobre usabilidade para se evitar erros comuns é muito mais do que um diferencial. É basicamente uma necessidade para se manter seu produto ou até a própria empresa no mercado nos dias atuais.

Quer saber mais como o Design Centrado no Usuário beneficia todo mundo? Confira aqui

O Que É e Qual a Importância da Usabilidade?

Segundo a NNg- Nielsen Norman Group- consultoria em experiência do usuário, fundada por Jakob Nielsen e Don Norman, usabilidade é:

Um atributo de qualidade que avalia quanto as interfaces de usuário são fáceis de usar

Além disso, quando falamos em "facilidade" também deve estar incluso o aspecto funcional: não adianta ser fácil e possuir uma bela interface se não entregar valor. E, ainda pior, se não permitir ao usuário completar o fluxo de determinada tarefa que ele deseja.

Portanto, falta da usabilidade pode fazer com o que um usuário:

  • nunca mais retorne ao seu site;
  • nunca mais efetue uma compra em seu e-commerce;
  • exclua seu aplicativo do celular;
  • tenha um sentimento negativo a respeito da marca.

Assim, nesse artigo levantamos 9 erros comuns de usabilidade que você deve ficar atento e evitar em seus projetos de UX Design.

Quer entender mais profundamente o que é Usabilidade e porque é tão essencial para projetos de UX Design? Confira aqui

E Quais São os Erros de Usabilidade Comuns?

Quando falamos em erros comuns, podemos entender que eles existem justamente por passarem despercebidos ao profissional. Além disso, como cada aplicativo possui a sua própria peculiaridade, não há uma fórmula mágica e universal para se desenvolver a interface perfeita.

No entanto, existem características comuns sobre a maior parte desses erros de usabilidade, sendo possível evitá-los. Dá só uma conferida.

1 - Inconsistência nos Elementos da Interface;

Você já acessou algum aplicativo cujas fontes, cores ou formatos variavam de forma inconsistente? Caso sim, é bem possível que sua experiência não tenha sido, dessa maneira, uma das melhores, acertei?

Sendo assim, o profissional de UX Design precisa evitar muitos estilos diferentes para garantir um aplicativo mais suave e conciso. Isso evita que sejam enviados sinais mistos aos seus usuários. Por isso, o ideal é repetir padrões a todo instante.

Dessa forma, uma dica é ficar de olho nos seguintes elementos para evitar inconsistência:

  • Paleta de cores para botões, textos, links, cabeçalho, rodapés do mesmo padrão;
  • Estilo de fontes para títulos, parágrafos, links seguindo o mesmo estilo;
  • Usar cantos no mesmo estilo, arredondado ou quadrado;
  • Utilizar uma espessura consistente da linha para ícones, divisores, entre outros.

Ah, e se algum elemento se desviar dos demais, é preciso que tenha um bom motivo para isso.

 Inconsistência nos Elementos da Interface
Tamanho e pesos diferentes de fontes

2 - Falta de Hierarquia entre as Ações Primárias e Secundárias;

Já parou para pensar que quando trabalhamos com aplicativos, os usuários muitas vezes precisarão fazer mais do que uma ação? Assim, nessas ações existem as que são consideradas primárias e as secundárias.

Sendo que as ações primárias são aquelas que inevitavelmente os usuários terão que fazer. Um exemplo seria uma interface onde ele teria que colocar login e senha para prosseguir. Já as atividades secundárias são aquelas que não são necessárias como um botão como "esqueci minha senha", naquela mesma interface de login e senha, por exemplo.

Por isso, é absolutamente importante para garantir a usabilidade de seus projetos, que haja distinção entre botões de ação primária dos demais. Isso ajudará visualmente o usuário na navegação a tornando mais fácil e intuitiva. Sendo assim, os botões de ação primária precisam estar diferenciados e destacados.

Uma sugestão para fazer essa distinção é usar mais peso no primário. Isso fará ele receber mais atenção. Desse modo, o profissional de UX Design precisa abusar das cores mais fortes nos botões primários e usar cores mais fracas nos botões secundários. O mesmo vale para os textos que deverão ser mais destacados em um e menos destacado em outro.

Botões Primários e Secundários e Usabilidade

3 - Formulários Mal Elaborados ou Confusos;

Tanto na etapa inicial, quanto depois do usuário já ter se tornado um lead, os formulários são essenciais para garantir uma boa usabilidade. Além de serem um componente essencial em pontos de comunicação de um site, também são usados para colher dados, fazer login, entre outras ações.

Para que o cliente tenha uma boa experiência neste momento, o UX Designer deve evitar usar apenas cores para indicar o erro. Se possível, coloque uma mensagem mostrando qual foi o erro cometido.

Ah, e também evite formulários muito longos. Caso isso seja necessário, considere dividi-lo em blocos ou seções lógicas, e mostrar uma barra de progresso, quando possível. Assim, o usuário saberá exatamente em qual etapa está.

Formulários e usabilidade

4 - Touchpoints Pequenos para Celular ou Tablet;

Sabe aqueles botões que mal conseguimos clicar nele, e sempre acabamos clicando onde não queríamos? Então, não cometa esse erro! Pois, certamente ele irá irritar seu usuário, prejudicando a usabilidade do seu aplicativo ou interface.

Não há nada mais frustrante do que preencher um relatório e ficar travado no momento do envio. Ou ainda o que é pior, o usuário poderá clicar em um botão errado o que o deixará ainda mais irritado, pois além de não conseguir executar a ação ainda irá precisar esperar uma nova página carregar.

Portanto, quando for projetar esses elementos clicáveis pense: seres humanos possuem dedos de tamanhos diferentes. Para se ter uma base a largura média de um dedo indicador é de 1,6 a 2 cm.

Então, faça o alvo de toque com pelo menos 45 a 57 pixels de largura. Isso dará mais espaço para o usuário atingir o alvo sem a necessidade de se preocupar com a precisão.

A NN/g - referência em Design de Experiência, possui uma regra para essa margem de segurança: 1cm x 1cm. Ou seja, utilizando-se dessa regra é possível garantir que todos os usuários tenham a mesma experiência positiva.

É claro que essa regra, dita pela NN/g, não tem que ser seguida a ferro e fogo. O próprio Google e a Apple possuem especificações diferentes dessas para suas interfaces.

Fat fingers

5 - Feedback Ruim ou Ausente;

Pense o seguinte, ao navegar em uma página, não é frustrante quando não sabemos em qual ação que estamos, se erramos, se acertamos ou quais são os próximos passos que precisamos fazer?

Então, é exatamente assim que um usuário se sente ao entrar em uma página com um mal feedback. Por essa razão é importante que o feedback tenha total clareza. Ou seja, quanto mais claro e objetivo for, melhor.

Existem situações, onde o usuário será colocado em uma planilha onde terá a opção de clicar em vários botões sequencialmente. Assim, um feedback ruim é ele não saber se concretizou uma ação ou não.

Por isso, feedbacks simples já podem garantir uma melhor usabilidade em seus projetos como usar uma cor do fundo para mostrar em que campo do formulário o usuário está, ou simplesmente alertar se uma ação realmente foi concluída com sucesso ou não.

Portanto, seja como for, sempre garanta que o usuário não fique boiando sem saber o que fazer nos próximos passos.

Feedback UX Design

6 - Confusão e Inconsistência de Comandos;

Lembre-se: as mentes humanas almejam consistência. Então, essa é uma regra que precisa ser constantemente lembrada para que a expectativa do usuário não seja frustrada e também para que não haja confusão na medida em que ele tenta resolver um problema.

Portanto, evite alguns tipos de inconsistência que podem confundir a mente humana como:

  • Controles parecidos mas que servem para propósitos diferentes;
  • Colocar controle para o mesmo recurso em lugares diferentes;
  • Palavras ou comandos diferentes para a mesma ação, como por exemplo no momento de salvar dados, colocar o botão salvar, e um outro botão prosseguir, mas que também tem a finalidade de salvar;
  • Elementos ou controle de interface do usuário que se movimentam, violando assim a consistência espacial.
Confusão e Inconsistência de Comandos;

7 - Mensagens Incorretas de Erros;

Ocorreu um erro, tente novamente.

Nada pode ser mais frustrante do que receber uma mensagem como essa e não saber como agir. Afinal, qual foi o motivo do erro? O que é preciso fazer para não cometer o mesmo erro?

Com o avanço dos aplicativos móveis, esse tipo de mensagem acabou se tornando mais comum. E convenhamos, se um usuário tentar uma ação por duas ou três vezes e aparecer o mesmo erro, ele certamente irá desistir de continuar.

Portanto, colocar um feedback claro nas mensagens de erro é crucial para garantir a usabilidade do site, aplicativo ou software.

Mensagens de Erro
Quer transformar erros em boas experiências para seu usuário? Não deixe de ler este artigo!

8 - Ícones Não Rotulados;

Você é um UX Designer, passa boa parte do seu tempo navegando por sites, buscando referências, conhecimentos e melhorias. Desse modo, está acostumado com os ícones. Mas e o usuário? Podemos dizer a mesma coisa dele?

Lembre-se da máxima da NN/g:

Sticker NNg

Ou seja, você não é seu usuário. Assim, você nunca pode criar nada assumindo que o usuário sabe ou conhece porque você sabe ou conhece!

Este ponto trata da discoverabilidade das funções de uma aplicação, o que significa que se você deseja garantir uma boa usabilidade você deve ter sempre em mente que o usuário não é obrigado a entender um ícone e saber o que deve fazer a partir dai se isso não estiver muito claro, ou até rotulado.

Além disso, a rotulação do ícone traz outros benefícios na navegabilidade e na experiência do usuário, pois:

  • Ele aumenta o tamanho do alvo;
  • Diminui o tempo para reconhecer o comando;
  • Ajuda o usuário a diferenciar visualmente vários comandos próximos uns dos outros.

Além disso, ele também facilita o aprendizado da interface, pois estabelece várias associações com o mesmo comando.

9 - Proximidade de Ações Destrutivas e de Confirmação;

Ações de salvar e descartar, uma do lado da outra. Pronto, um clique errado e tudo deverá ser feito novamente! Isso é muito frustrante para o usuário e demonstra uma péssima usabilidade.

Embora logicamente faça sentido para alguns profissionais de UX Design, pois o usuário deverá ter duas possibilidades de ação como salvar ou excluir, essa proximidade pode ser realmente desesperadora para o usuário. Pois facilita o erro.

Esse tipo de ação não intencional é chamado de deslizamento. Então, por mais lógico que possa parecer, esse é um erro que não deve ser cometido jamais!

Ações Destrutivas e de Confirmação - Usabilidade

E Como Evitar esses Erros de Usabilidade?

Primeiramente o essencial é conhecer a persona. Além disso, também conhecer a interação da persona com o seu site ou aplicativo, a facilidade no manuseio com a tecnologia, entre outros aspectos. Para só então saber por qual caminho seguir.

Também é fundamental realizar os testes de usabilidade, para verificar na prática quais serão as dificuldades de usabilidade que os usuários encontrarão.

Da mesma forma, também é importante se colocar no lugar do usuário. Fazer toda a jornada que ele faz, desde o início até o fim. Pense como o usuário, pense que você não sabe nada sobre o aplicativo ou site. Lembre-se da máxima: Você não é seu usuário!

É preciso, inclusive errar em algum ponto para ver como seria o procedimento seguinte, ou quais alternativas se existem nesse caso.

Enfim, quanto mais você conseguir se colocar no lugar do usuário e realizar testes de usabilidade no decorrer do desenvolvimento do projeto, menores serão as chances de cometer esses erros de usabilidade.


Gostou do artigo? Deixa um comentário! O feedback de vocês é muito importante para continuarmos criando conteúdos relevantes.

Se você quiser encontrar mais artigos como esse, acesse nosso Blog! Lá, você tem diversos temas relacionados a UX Design. Desde ferramentas e conceitos até dicas para migrar de carreira! Fique ligado para não perder nenhum aprendizado!

Ficou com alguma dúvida? Manda uma mensagem!